Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Moda Tatuada

Antigamente quem tinha tatuagens era frequentemente olhado de lado e marginalizado. Eram simbolos de criminosos, membros de gangs e ex-presidiários. Felizmente mudam-se os tempos e mudam-se as vontades. Hoje as tatuagens são vistas com muito mais naturalidade (nem sempre...) e já muito mais gente aderiu à ideia. Há até quem diga que depois da primeira é um vicio que se cria e só queremos mais e mais. Eu que o diga, andei alguns anos com uma tatuagem em mente desenhada por mim mas não a fiz logo porque queria ter a certeza de que não me ia fartar da ideia. Acompanhada da ideia vem um simbolismo muito forte, e no momento certo fi-la, onde queria como queria e ficou simplesmente perfeita... Há quem ainda me olhe com um pouco de desconfiança mas a maioria adora-a. E eu não podia ser mais feliz com ela. O mais importante antes de fazerem uma tatuagem é certificarem-se de que a querem mesmo. Não é o mesmo que comprar uma camisa ou par de cuecas (e a remoção é bem mais dolorosa!) e não façam por fazer, só porque é uma moda (por favor parem os golfinhos e as tribais!!!) juntem um simbolismo e ainda vão gostar mais do resultado (além de que se tiverem um objectivo a dor é mais suportável :p). Sou a favor de tatuagens e hei-de fazer mais, não pelos outros, mas por mim mesma que as adoro. Já desenhei a próxima e mal posso esperar para a fazer!

 

Um caso mais complicado foi a inserção de tatuagens na moda. As modelos costumavam ter aquela imagem muito clean, pele lisinha sem imperfeições e nem sequer se punha a hipótese de arranjar alguém com tatuagens (dava mau aspecto, e a menina rebelde era uma imagem mais personalizada que não convinha). Eis que aparece vinda da República Dominicana, a fabulosa Omahyra Mota. Alguns podem conhecê-la de alguns filmes (como o X-men) outros conhecem-na por ser uma das musas de Jean Paul Gaultier. Ela veio quebrar a imagem de menina loirinha bem comportada, e aparece com cabelo negro, curto, umas expressões exóticas, bem rebelde, e... cheinha de tatuagens. Ela conquistou rapidamente as máquinas fotográficas com o seu visual arrojado e quebrou todas as tradições, muitos foram os criadores que a usaram, mostrando que ter tatuagens já é bem aceite e até pode ser das mais bonitas afirmações pessoais. O que interessa é ser original! Dou-vos umas fotos para a conhecerem e admirarem, e se depois quiserem digam que eu posto também umas fotos com o namorado dela (mais chocantes, já sabem como sou) que eu achei fantásticas também! E agora apreciem:

 

          

         

 

Toca a tatuar! Eu ando a chocar uma gripe (deve ser de estar a trabalhar hoje quando devia estar de folga, vida dificil!) por isso vou para casa beber o belo do chá para ver se isto se recompõe... Beijinhos a todos, da Rita. Boa semana!

 

P.s.: Só para quem gosta de dominadoras: Quem é que já ouviu o Future Lovers da Madonna versão de concerto? Aqueles chicotes a estalar no fundo... do melhor!

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil